Faça sua doação

Um terço dos casamentos no Brasil termina em divórcio

Área de Conteúdo

Um terço dos casamentos no Brasil termina em divórcio

Um terço dos casamentos no Brasil termina em divórcio

A lei do Divórcio no Brasil completou 40 anos de sua aprovação. Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com dados do período entre 1984 e 2016, aponta que o número de dissoluções disparou nos últimos anos.
Em 1984, eram cerca de 10% dos casamentos, com 93,3 mil divórcios registrado. Atualmente chega perto de um terço (31,4%). em 2016 foram 1,1 milhão de matrimônios e 344 mil separações.
O levantamento do IBGE aponta mais de 7 milhões de dissoluções no país entre 1984 e 2016, uma média de 580 divórcios por dia. Nesse mesmo período, os casamentos subiram 17%, enquanto os divórcios aumentaram 269%.
Os casamentos que chegam ao fim por meio de divórcios, concedidos em primeira instância ou por escrituras extrajudiciais, duram quanto em média? O IBGE tem a resposta: 15 anos. Tempo médio que varia um pouco segundo o Estado: no Acre – a menor média do país, são 12 anos – já no Piauí e no Rio Grande do Sul o tempo sobe para 18 anos.
Divórcio e religião
No levantamento do IBGE, a opção religiosa dos entrevistados não é levada em conta. Contudo, uma pesquisa do Instituto Barna (EUA), feita em fevereiro de 2017, mostra que a taxa de divórcios entre evangélicos se iguala a da sociedade em geral. O percentual de divórcios é o mesmo (25%) para todas as confissões. Ou seja, não há mudança significativa entre evangélicos, católicos e membros de outras religiões.
A psicóloga cristã e colunista do Gospel Prime Roseli Kunrich diz que “Apesar do alto índice de divórcios, as pessoas seguem acreditando na instituição do casamento. Em parte, ela atribui as dissoluções a expectativas irreais e uma visão idealizada de romance, muito influenciada pelo cinema e a TV”.
Ao mesmo tempo, aponta para o trabalho que as igrejas evangélicas geralmente fazem junto às famílias como um diferencial, que impede que o número seja ainda maior.
“Família é ideia de Deus e as igrejas sempre lembram isso aos fiéis, mas só a fé muitas vezes não é o suficiente para segurar uma relação. Os cursos promovidos pelas igrejas ajudam a colocar as expectativas das pessoas em níveis mais realistas. As dificuldades podem ser superadas, em alguns casos só com terapia e ajuda especializada”, defende.
Com informações O Estado de S. Paulo
Fonte: Gospel prime

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress