Faça sua doação

"Se eu era uma grande pessoa errada no mundo, hoje eu tento ser no Reino de Deus", diz Pedro Antônio

Área de Conteúdo

"Se eu era uma grande pessoa errada no mundo, hoje eu tento ser no Reino de Deus", diz Pedro Antônio

"Se eu era uma grande pessoa errada no mundo, hoje eu tento ser no Reino de Deus", diz Pedro Antônio

Pedro e sua mãe Mércia
Pedro e sua mãe Mércia

Pedro Antônio tem apenas 19 anos de idade, mas muita história para contar. Como ele mesmo diz, sua vida até conhecer a Deus era somente de derrotas. ” Nunca tive forças pra nada, tudo que eu fazia era para magoar alguém. Cheguei ao ponto da minha família não acreditar em mim. Chegava em casa e os meus irmãos perguntavam se da  próxima vez eu queria chegar num caixão. Todos os dias era confronto dentro da minha casa por minha culpa”.

O vilão dessa história, hoje Pedro sabe quem era, mas no início acreditava que eram seus parceiros de verdade: as drogas e o álcool. Quando o jovem começava a trabalhar, não ficava muito tempo no serviço. Os estudos ele até iniciava, mas não concluía. Aliás, foi expulso de três escolas. Se envolveu em brigas de ruas, de torcida, praticou alguns assaltos e com isso adquiriu muitos inimigos. “Pessoas já tentaram me matar, cheguei a ficar ajoelhado no chão, com uma pistola apontada para minha cabeça”, conta.

Na ocasião, chegou a pedir a Deus para o livrar e que nunca mais faria o mesmo, mas era só sair de uma situação difícil que ele voltava a fazer tudo de novo. “Todo dia era uma batalha. Eu tentava ter um dia melhor, mas tudo que eu fazia só piorava, porque fazia do jeito errado. Procurava resolver os meus problemas com armas e quando estava triste, procurava as drogas. Não queria estar em casa, somente na rua.”

Deus o livrou de muitas situações, e tudo tinha um propósito.  Há cerca de 8 meses ele descobriu o por quê? Na Sara Nossa Terra de Parnamirim, em Natal, ele encontrou o que tanto almejava: o amor verdadeiro de um Deus que nunca deixa seus filhos padecerem. “Lá encontrei Jesus, a Palavra e onde conheci pessoas esforçadas. A igreja foi um degrau para eu sair do fundo do poço, de onde eu estava, porque eu nunca estive num lugar mais alto, sempre foi no lugar mais baixo.  Hoje sou co-líder de uma célula e pretendo abrir a minha própria célula. Se eu era uma grande pessoa errada no mundo, hoje eu tento ser uma grande pessoa no Reino de Deus”, destaca.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress