Faça sua doação

"Roubava dinheiro da minha mãe para me drogar", conta Sinésio Veras, hoje, liberto

Área de Conteúdo

"Roubava dinheiro da minha mãe para me drogar",  conta Sinésio Veras, hoje, liberto

"Roubava dinheiro da minha mãe para me drogar", conta Sinésio Veras, hoje, liberto

6126e799-2036-42a3-8140-e7c38e959d3fSinésio Veras veio de um lar totalmente desestruturado. O pai era alcoólatra e em decorrência desse vício, acabou perdendo a vida. Mesmo antes, eles não tinham uma convivência. A ausência da mãe também se fez muito presente na vida do garoto, pois para sustentar ele e sua irmã, ela tinha que trabalhar o dia todo.

“Minha família passou muitas dificuldades e humilhação por causa dessa situação e eu guardava uma mágoa muito grande do meu pai. Com isso, fui crescendo muito solto e sem limites. Dentro de casa existia muita revolta, onde minha irmã e eu éramos inimigos, brigávamos bastante e eu fui conduzindo minha vida do meu jeito”, conta.

Com essa vida desregrada e com apenas nove anos de idade, Sinésio conheceu o primeiro vício que teria: o cigarro. Aos treze anos já fazia uso de bebidas alcóolicas e de maconha. Dos 13 aos 25 anos, estava em volto cada vez mais nos vícios, fazendo uso desses entorpecentes diariamente, foi quando passou a usar, também, cocaína. “Virou uma rotina na minha vida e eu sempre bebia até cair. Roubava dinheiro da minha mãe para me drogar”, lembra.

A vida de Sinésio estava totalmente destruída, onde muitos familiares não acreditavam que ele chegaria aos 28 anos. Mas a mãe falava a todos que ele ainda seria alcançado pelo Senhor. E foi. Um certo dia, ao conversar com uma amiga, sua mãe ficou sabendo do Revisão de Vidas que aconteceria na Sara Nossa Terra. A mãe, mesmo sendo espírita, não pensou duas vezes. Pegou emprestado um dinheiro e fez a inscrição do filho, sem que ele ao menos soubesse, apenas lhe avisando uma semana antes do encontro. “Minha mãe disse: eu já fiz a sua inscrição”,  daí eu falei: “Vou pensar!”. Nesse exato momento eu estava indo encontrar com um amigo para fumar maconha e fumamos. Depois que fumei, pensei: “Eu vou a esse Revisão, não por mim, mas pela minha mãe. Ela merece essa felicidade”.

E ele foi. Mas mesmo antes de entrar no ônibus fez uso de álcool e drogas, pois sabia que nos dias que ficaria no encontro, não poderia usar. “Se alguma coisa tinha que mudar, teria que ser naquele final de semana”, ele pensava. Durante o final de semana que passou no Revisão, teve o primeiro encontro verdadeiro e pessoal com o Senhor, onde viu que ali, as drogas não poderiam mais fazer parte da sua vida. “Eu era viciado em cigarro, mas não levei. Mas no sábado mesmo tinha uma rapaz que queria voltar pra casa e antes dele ir, acendeu um cigarro. Automaticamente começou um conflito dentro de mim entre pedir ou não pedir um cigarro pra ele. Decidi me afastar e não pedir. Na mesma hora sentir Deus arrancando toda aquela força que me dominava”, destaca.

E hoje, para aqueles que não acreditavam em sua conversão, Sinésio é testemunho vivo do que Deus pode fazer na vida das pessoas. Com 38 anos, Sinésio é um homem realizado. Casado com a Jacqueline têm juntos a pequena Elisa. É líder de 6 células e liberto.  “Minha relação com a minha irmã foi restaurada. Há mais de 15 anos minha mãe foi espírita e com a minha conversão, abandonou o espiritismo. Até o Revisão, eu não conseguia chamar minha mãe de mãe, quando cheguei do RV, foi a primeira coisa que fiz. Essa ferida que tinha com meu pai, só foi curada depois de três anos de convertido. Era muita mágoa, porque culpava ele profundamente. Hoje sei que a intervenção da minha mãe e o nível do Evangelho que é pregado na Sara, foram fundamentais para a minha restauração, porque eles, literalmente, mexeram em toda a minha história, fui amado, confrontado e curado”, comemora.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress