Faça sua doação

"Quando Deus achar que devo voltar a jogar, vou voltar a jogar", destaca Allan Ruschel

Área de Conteúdo

"Quando Deus achar que devo voltar a jogar, vou voltar a jogar", destaca Allan Ruschel

"Quando Deus achar que devo voltar a jogar, vou voltar a jogar", destaca Allan Ruschel

captura-de-tela-2016-12-29-as-22-12-15Se tem uma pessoa que tem agradecido e muito a Deus depois do acidente aéreo com o avião da Chapecoense, tem sido o lateral-esquerdo Alan Ruschel. Em entrevista, ele manifestou o desejo de voltar a jogar pelo clube logo após receber alta do hospital, mas acredita que terá de esperar pelo menos seis meses para poder retornar aos gramados e tem exercitado a paciência enquanto se recupera, no Rio Grande do Sul.

“Fisicamente estou melhorando. Estou vivendo um dia de cada vez, com paciência, e espero poder voltar o mais rápido possível e bem. Meu dia a dia está sendo de agradecimento e, como falei, estou vivendo um dia de cada vez, aproveitando bem. Às vezes, sou inquieto porque era muito hiperativo, toda hora fazendo alguma coisa. Estou pedindo a Deus para que me conforte e conforte o coração dos familiares que não tiveram a mesma sorte que a minha família teve (…) Que seja feita a vontade de Deus. Quando ele achar que devo voltar a jogar, vou voltar a jogar”, explicou.

Aos novos jogadores, caso esteja presente no vestiário quando o time retomar as atividades, Allan disse:

– Que eles joguem por todos que se foram e pela gente. Com certeza, eu, o Neto e Follmann (outros sobreviventes) queríamos estar ali naquele momento (na volta do time em 2017). O pessoal que se foi também queria. Então, se eu pudesse, falaria isso para eles, que eles joguem por todos nós – disse, em entrevista ao “Tá na Área”.

Em Tramandaí, no litoral gaúcho, Ruschel admitiu que não consegue esquecer da tragédia, que deixou 71 mortos, mas disse que pretende recordar dos amigos que faleceram pelos momentos bons que passaram juntos – a delegação sofreu o acidente quando viajava para disputar a final da Copa Sul-Americana, em Medellín, contra o Atlético Nacional.

– Não tem como apagar o que aconteceu, infelizmente a gente vai ficar marcado por essa história triste, mas vou levar o que foi deixado antes da tragédia, um clube feliz, um grupo bem alegre, que estava fazendo história. Se Deus quiser, vou voltar a jogar em seis meses e quero poder levar o que o grupo tinha deixado, que era felicidade, e quero levar isso para dentro do vestiário – afirmou.

Ainda se recuperando e seguindo o tratamento, que inclui fisioterapia, Ruschel disse que precisará de muita paciência para voltar aos gramados e que não pretende acelerar o processo de volta, apesar do desejo de se juntar aos futuros companheiros.

Fonte: sportv.globo.com

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress