Votar em branco ou nulo, qual a diferença? Entenda como funciona – Sara Nossa Terra

Votar em branco ou nulo, qual a diferença? Entenda como funciona

voto branco ou nuloFaltam 06 dias para as Eleições e ainda se discute muito qual a diferença do voto branco ou nulo e qual o impacto dessas opções no processo eleitoral. Está na hora de saber a diferença, principalmente, para o exercício da cidadania.

Para muitas pessoas “tanto faz” votar nulo ou branco, pois pensam que seu voto não irá fazer diferença alguma, quando na verdade não o é. Está será a 1ª vez que o estudante Felipe Watanabe, 19, irá participar das eleições, mas quando perguntado se já sabe em quais candidatos votar e a diferença do voto nulo ou branco sua resposta é objetiva.” Se eu votar em branco ele vai automaticamente para alguém, então vou anular, porque não vejo mudanças no país. Acho isso muito injusto com a população. Votam para um país melhor e nada muda. Se já houve mudanças, foi para pior”, lamenta.

Já a auxiliar de serviços gerais, Neide Carvalho, 48, não quer nem pensar nas opções.”Vou exercer o meu papel de cidadã e vou votar, ainda mais porque sei que os meus candidatos vão ganhar”, brinca otimista.

O estudante tem razão, quanto ao voto em branco, não significa que o eleitor não escolheu nenhum candidato, na verdade ele está abrindo mão de seu direito e colabora para que essa decisão seja somada aos votos do candidato com maior votação no último turno. Ou seja, se existem dois candidatos A e B disputando determinada vaga e o candidato A recebe 52% dos votos e o candidato B 35% dos votos, 10% são em branco e 3% nulo, isso significa que o candidato A tem um aceitação de 62% do eleitorado, o que garantirá a sua vaga ao cargo.

Já o voto nulo é um ato de protesto, indicando que a pessoa não está satisfeita com os candidatos disponíveis, ou seja, não quere nem A nem B no poder. Esse tipo de voto é considerado mais efetivo para quem quer exercer a democracia, pois ele expressa de maneira clara a insatisfação do eleitor. De acordo com o artigo 224 do Código Eleitoral, “Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias”. 

Para muitos, esse artigo faz com que o voto nulo altere a configuração do cenário eleitoral. Entretanto, de acordo com uma recente interpretação do TSE, essa nulidade só invalida as eleições quando os votos são anulados por causa de alguma fraude que determine sua desconsideração. Portanto, se mais de cinquenta por cento dos cidadãos optam pelo voto nulo, prevalece a escolha daqueles que votaram em algum candidato.

Dessa forma, quando um cidadão vota nulo, ele acaba contribuindo para que um determinado candidato vença a eleição com um número menor de votos necessários. “Acredito que apesar de tudo, temos que fazer valer nosso voto. Se pensarmos na maioria dos candidatos realmente desanimamos, mas o fato é que, temos que assistir a todas as campanhas de todos os candidatos, levando em consideração o passado e a partir de então, decidirmos quais propostas são mais viáveis à população.“, destaca a professora Angela França, 41.

Pensar antes de votar, conhecer bem os candidatos e suas propostas ainda é a melhor opção, afinal de contas, as eleições só acontecem de quatro em quatro anos e esta é a única oportunidade de fazer valer o seu direito enquanto cidadão. Por isso, pesquise antes de votar e vote consciente.

Voltar pra igrejas

Faça um comentário

X
Evento Teste