Transformação: Veja o que Deus fez na vida de Rodrigo Bueno por meio de uma célula – Sara Nossa Terra Doe agora

Transformação: Veja o que Deus fez na vida de Rodrigo Bueno por meio de uma célula

TESTEMUNHOFilho de pais separados desde os dois anos de idade, Rodrigo Bueno Mesquita Dias, teve uma infância cheia de carências afetivas. Sua mãe trabalhava o dia inteiro para sustentar a casa e voltava tarde. Mesmo se esforçando bastante, não conseguia suprir todas as necessidades do filho. Foi então, que as amizades passaram a ter grande influência na vida de Rodrigo e ele se espelhava neles, na medida de suas condutas. Se fossem bons, ele se tornava bom. Se fossem pessoas ruins, ele se tornava ruim.

Aos quinze anos de idade mudaram-se para outra superquadra de Brasília e lá ele conheceu outros rapazes de sua idade que eram totalmente desestruturados. Gostavam de pichar, usar drogas, consumir muita bebida alcoólica e praticar pequenos delitos. “Em pouco tempo eu estava pichando, roubando e participando de todas as atividades exercidas pela gangue da quadra. Abandonei os estudos e me voltei para as drogas”, conta.

Quando aprontava demais em Brasília, sua família o mandava para o Rio de Janeiro, esperando que, pela mudança de ambiente, ele viesse a mudar de comportamento. Mas não resolvia, no Rio ele se voltava para as pessoas que, igual a ele, gostavam de usar drogas e aprontar. Virava uma rotina de vai e volta. Seu estado piorava e era enviado de volta para Brasília.

“Nesse período expandiu um grande vazio no meu coração, uma solidão cresceu dentro de mim e passei a me tornar um pouco depressivo. Fiquei triste. A minha volta não via solução para os meus problemas, minhas dificuldades. Passei anos falando para minha mãe que mudaria de vida e nunca consegui nenhuma mudança significativa. Fiquei escravo e dependente das drogas e de toda a ilusão proporcionada por ela. O desespero cresceu tanto, que eu quis sumir da vista de todos”, relembra.  A mãe de Rodrigo era muito religiosa e ele havia crescido dentro do Cristianismo, mas não tinha conseguido absorver os princípios cristãos ou sentir aquele amor de Jesus.

foto 3Então, em uma fase muito desesperada o jovem resolveu desafiar a Deus e fez uma oração: “Se o Senhor realmente existe, cruza os teus caminhos com o meu. E pesei no meu coração, se até o final de semana, que seria o aniversário da minha sobrinha, Ele não fizesse nada, eu sumiria no mundo”. No dia do aniversário da sobrinha, na festa,  Rodrigo reencontrou um primo de segundo grau que ao conversar durante a festa , o convidou para uma célula. Ele quis saber o que era uma célula e em meio a explicação já foi ficando tocado, por que Deus tinha feito sua parte do trato, segundo ele conta.

“Esse fato marcou demais minha vida, porque era um desafio feito entre eu e Deus. Conheci o pessoal da célula e da equipe do meu primo e fiquei maravilhado, tamanha alegria do pessoal. Vi ali, uma oportunidade única na minha vida. De ter a vida que aquele pessoal tinha: feliz, alegre, divertida, responsável. Fui para o encontro com Deus na época e fiquei totalmente rendido. Não olhei mais para trás e busquei com todas as minhas forças a mudança que me era proposta pelo evangelho”, diz.  Com uma semana depois de fazer o Revisão de Vidas, Rodrigo estava mergulhando em vários livros para melhorar sua fala e raciocínio, que eram debilitados pelo uso das drogas.

Se desfez de roupas e assessórios que lhe remetiam a vida que vivia antes do encontro com Deus. Por causa da escola de vencedores voltou a estudar depois de seis anos parado e terminou seu ensino médio. Então conheceu sua esposa na igreja, constituiu família e hoje são diáconos a frente da igreja do Recanto das Emas no bairro Taubaté, no Distrito Federal. “Todas as coisas nos foram acrescentadas ao longo da nossa caminhada com Deus. Em tudo temos sido fortalecidos e desafiados. Hoje não tem mais nada em mim daquele menino rebelde, drogado. Eu e minha mãe hoje desfrutamos de uma vida familiar maravilhosa, graças a Deus”, afirma.

Voltar pra igrejas

Faça um comentário

X
Evento Teste