O milagre da vida: Heloina e Raylander contrariaram a medicina e hoje glorificam a Deus – Sara Nossa Terra

O milagre da vida: Heloina e Raylander contrariaram a medicina e hoje glorificam a Deus

Há 22 anos Heloina Guimarães contrariou a medicina e ficou grávida. Ela nasceu com uma doença genética sanguínea, a Anemia Falciforme, que traz diversas complicações à vida da pessoa, como fadiga constante, fraqueza e envelhecimento precoce. Essa doença até hoje não tem cura. Na época de seu nascimento os médicos afirmaram a família que ela não viveria muito. Chegou a ser internada muitas vezes durante a infância e na adolescência. Por conta desse problema, foi orientada a não engravidar, pois isso poderia levá-la à morte.

Aos 19 casou-se e a partir de então começou a tomar anticoncepcionais para evitar a gravidez, mas logo foi preciso interromper o uso, pois este havia causado uma microtrombose cerebral, que felizmente não deixou sequelas. Depois disso, acabou engravidando. Dia após dia Heloina foi aguentando, até chegar ao11780649_856772104410006_454947779_n sexto mês, quando passou muito mal e chegou à beira da morte. Sua única chance seria fazer um procedimento muito arriscado, de trocar o sangue do corpo todo. Mas, uma simples transfusão em seu caso, já seria complicado suficientemente, até um sangue de mesmo tipo e fator RH, quanto mais algo de tamanha extensão e urgência.

Depois de muitas doações e da família assinar um termo de responsabilidade, o procedimento foi realizado e contrariando todas as expectativas da medicina, ela resistiu bem até 36 semanas, quando foi preciso fazer o parto por cesariana. Seu filho, Raylander Guimarães de Paula, que hoje está com 22 anos, conta que toda a família ficou apreensiva com sua chegada. O que era para ter sido motivo de muita alegria trouxe grande preocupação. “Os médicos pediam para falar com meu pai a sós e chegavam a dizer a ele que não sairia dessa situação com os dois, que ele perderia um ou até mesmo, os dois de uma só vez”.

Quase toda a família é evangélica, então uniram-se em oração e jejum, sempre confiando no poder de Deus. “Aparentemente eu nasci muito bem e saudável. A grande preocupação agora era saber se eu tinha ou não a doença da minha mãe, pois é genética. O resultado do teste foi que eu possuo o traço genético da doença, mas ela não é ativa e nem pode me causar nenhum problema. Sou uma pessoa totalmente normal e muito saudável”, conta Raylander.

Hoje, a mãe de Raylander tem 45 anos e vive muito bem. Seus pais comemoraram recentemente 26 anos de casados e o jovem que era dado como morto, tornou-se um milagre vivo, está encerrando o curso de Direito na Universidade de Brasília (UnB) e é um dos líderes do Ministério de Dança, na Embaixada Sara Nossa Terra, em Brasília, além de ministro de louvor.”Deus me deu tudo ao me dar a vida, agora, o mínimo que eu posso fazer é dar meu tudo a Ele de volta”, diz Raylander.

Voltar pra igrejas

Faça um comentário

X
Evento Teste