Festas Proféticas 2018 marcam o feriado da Sexta-feira da Paixão – Sara Nossa Terra

Festas Proféticas 2018 marcam o feriado da Sexta-feira da Paixão

O clima era de festa na manhã desta sexta-feira (30), no Campus Arena, em Brasília. Ao som de Hélio Borges, inúmeras pessoas puderam sentir já nos primeiros momentos das Festas Proféticas 2018 o grande poder de Deus sobre suas vidas.
Bispa Lúcia abriu as ministrações falando sobre o significado prático das Festas Proféticas. “Quantos querem experimentar o melhor de Deus? Todos nós queremos saber qual é essa vontade que é boa, agradável e perfeita, mas muitas vezes não perguntamos a Deus, ao nosso líder, o que podemos fazer para viver essa vontade.Faz 45 anos que sou convertida e desde então eu tenho essa oração de viver dentro da vontade de Deus, eu aprendi que não há vida fora da realidade de Deus e, muitas vezes, nós temos a dificuldade de viver essa vontade, porque para viver isso nós precisamos passar por transformação, metamorfose, uma mudança radical na maneira de agir e crer, de sentir, perceber”.
A preletora destacou ainda que transformar a mente significa mudar de uma posição para para viver uma nova realidade e foi isso que a Páscoa significou no Velho Testamento para o povo de Israel, pois para eles a Páscoa significava passagem da escravidão para a liberdade. ” Isso tem a ver com o nosso novo nascimento, porque quando eu aceito a Jesus eu saio da morte da escuridão do pecado para a verdade. Para nós, que somos cristãos, a Páscoa é Jesus, não é o cordeiro ou o sangue dele no Velho Testamento, porque Ele foi o cordeiro que foi dado por mim e por você. É maravilhoso saber que não precisamos mais ficar preso porque Jesus ressuscitou e não precisamos ficar mais preso no sepulcro do medo, da falência. Quem vive de passado não consegue enxergar as promessas de Deus. Eu não vou morrer no deserto, mas quero experimentar tudo que Deus tem para mim, porque maior é o que habita em mim”.
Bispo Rodovalho deu seguimento explicando sobre as Grandes Festas: Páscoa, Pentecostes e Tabernáculos – Três festas, três experiências e uma unção sobrenatural. “Deus é profético e tudo que Ele fez e faz é para mim e para você e isso quer dizer que o calendário instituído por Deus no Velho Testamento é para mim e  para você porque isso é profético. No livro de Hebreus 8, Paulo diz sobre a lei que é o Velho Testamento e isso inclui o Tabernáculo, os mandamentos, as festas, inclui todo o pacote da Velha Aliança. A lei é sombra daquilo que haveria de vir e se tem uma sombra é porque tem um objeto”, explicou.
O preletor disse ainda que ainda nos dias atuais existem pessoas querendo deixar Jesus para virar judeu, mas aquilo é sombra. “Foi bonito para nos falar, instruir, para nos abençoar, para realizar milagres nas nossas vidas. A Lei é sombra e a Páscoa está dentro da lei, uma festa que abria o calendário hebraico. A segunda festa maior que eles tinham era Pentecostes, 50 dias depois da Páscoa e Tabernáculos, no fim do ano. Foram 3 festas, mas três sombras de três experiências com poder de Deus”.
O livro de Êxodos 23:14 foi utilizado pelo preletor que, de forma enfática, salientou. “A sua vida cristã não será realmente vitoriosa se pelo menos três vezes ao ano Deus não te rebatizar no poder, você não falar em línguas, você não chorar e não tiver um novo encontro com Deus. Se você não tirar a poeira do mundo e não tiver um novo encontro com Deus, uma nova unção. Sem isso você corre o risco de ter uma vida religiosa, sem graça, insípida e não é isso que Deus quer para você. Você precisa ter o toque do poder de Deus para tudo que o diabo tenta quebrar na sua vida pelo menos três vezes ao ano”.
Sobre a Páscoa Rodovalho explicou  que “ela nasce no Egito e quando Jesus come a Páscoa, Ele a fecha e institui a Santa Ceia como sucessão da Páscoa. A Páscoa nos fala de salvação, da cruz e do sangue. Participar da Páscoa quer dizer ter a experiência da salvação e passar por cima de toda seta do maligno. Já Pentecostes foram 50 dias depois da Páscoa que, quer dizer os primeiros frutos, uma sombra do poder de Deus. Enquanto Tabernáculos fecha o ano e inicia um novo ano. Significa uma colheita em plenitude”.
No evento também foi comemorado os 24 anos da Sara Nossa Terra. “Nós mudamos para Brasília há 26 anos e  Senhor fez maravilhas, cumpriu todas as promessas que Ele nos fez lá em Goiânia vislumbrando essa Terra. Hoje posso dizer que temos mil vezes mais do que tínhamos lá. Mil vezes mais líderes, corações  apaixonados e realmente crescemos para a glória de Deus. São 26 anos mudando Brasília e nós só estamos começando”, destacou Bispa Lúcia. As Festas Proféticas se encerrou com a visitação do público ao Jardim Bíblico.
Confira fotos:

Crédito das fotos: Gabriel de Souza

Voltar pra igrejas

Faça um comentário

X
Evento Teste