Doe agora

Bruna Paula foi curada de síndrome do pânico e hoje vive conquistas profissionais

Bruna Paula Martini chegou  à Sara Nossa Terra por meio de um convite inusitado em uma festa.  Ela gostava de beber bebidas alcoólicas todos os dias e agitar em meio às badalações. Mas tudo não passava de desculpas para esconder uma dor que começou com a separação dos pais aos 15 anos de idade e a deixou traumatizada.  Até que um rapaz a convidou para ir ao Arena Jovem. Ela, que na infância participava de outra igreja com os pais, e os viu buscar intensamente a Deus, aceitou ao convite. “Eu perguntei: – O que é isto? Arena? Ele disse que era uma igreja. E ele convidou a mim e minha irmã.  Era um sábado. Depois de lá, passei a frequentar uma célula”, recorda.
Hoje obreira, Bruna lembra que quando se desviou dos caminhos do Senhor, passava por momentos de melancolia e tristeza e por mais que estivesse em volta à muitas festas, sempre lembrava dos ensinamentos cristãos que aprendeu na infância. Também sabia que seu pai nunca tinha parado de orar para que ela voltasse. “E o Espírito Santo começou a falar comigo, para olhar ao meu redor, pra ver como a minha vida estava parada. Eu não sonhava é só trabalhava para sustentar meus vícios. Peguei um táxi na época e fui para casa. E Deus usou uma pessoa que nem mais está igreja. Vim para Sara Nossa Terra. Eu era amargurada e escondia forte tristeza em meu coração. Venci a crise de pânico, pois tinha sensações horríveis de morte .  Tenho certeza que se não tivesse conhecido a Jesus nem viva eu estaria”, destaca.
E como a jovem define, tudo mudou depois que chegou à Sara Nossa Terra, pois entendeu o propósito de vivenciar a Palavra em todas as áreas. “Cheguei à igreja solteira e casei há três anos, E, tudo que tenho  conquistei no Altar de Deus, na Sara Nossa Terra.  Também vivi o milagre de restauração de toda minha família. Quando cheguei à igreja, eu era uma vendedora de loja e hoje trabalho em uma Instituição financeira, um dos maiores bancos privados do país. Lembro que durante uma Celebração da igreja,  semeei certo valor de minha poupança em um ato de fé, um ano depois , tínhamos o triplo do valor  e ao  mesmo tempo alcançamos nossos sonhos profissionais”, finaliza.
Texto: estagiário Bruno Faria sob supervisão de Jeane Magalhães

Faça um comentário

X