Mensagens

RELACIONAMENTO COM ALIANÇA TEM RENÚNCIA

Em um relacionamento para se chegar num acordo, um dos dois tem que ceder. Às vezes ambos cedem. Muitas vezes um dos dois precisará ceder cem por cento para que haja paz. Rute teve que renunciar à sua família para estar com Noemi. Ela não podia ter Noemi, a sua sogra, e a sua família moabita, porque Noemi estava voltando para Israel. Ela teve que abrir mão. Na vida nós vamos ter sempre que abrir mão de alguma coisa. É impossível ganhar sempre. Nós vivemos numa sociedade capitalista, onde se quer tirar proveito de tudo, mas, em relacionamentos, se você quiser tirar proveito, vai ficar sozinho.

A Bíblia diz que Jônatas entregou para Davi a capa, a armadura, a espada, o arco, o cinto. Isso é uma metáfora, uma alegoria do Reino de Deus. Jônatas deveria herdar o reino de Israel. Ele era o filho mais velho do rei. Mas o amor de Jônatas por Davi, e o reconhecimento de que Davi era homem de Deus, o fez abrir mão. E sabemos que Jônatas não viveu triste, não viveu chorando pelos cantos. Deus já havia ungido Davi para ser rei, todavia Jônatas não sabia. Quando você tem um coração de aliança, Deus o guarda para que você não faça besteira.

Paulo nos ensina em 2 Coríntios 6:14: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos, porquanto, que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que união da luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e o maligno? Ou que união do crente com o incrédulo?” A Bíblia diz isso. Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Nós somos santuário do Deus vivente. Como Ele próprio disse: Eu habitarei e andarei com eles e serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Muitas vezes você terá que renunciar a relacionamentos onde o jugo é desigual. Por exemplo, sociedade numa empresa. Se a pessoa não tiver acordo com você, como será? É um acordo espiritual. Vocês entendem? Cuidado! Alguns ainda vêm me perguntar se a sociedade vai dar certo, mesmo com jugo desigual, eu logo aviso que não. Nem peça oração. Você está tentando Deus. Alguns questionam: “Ah! Eu pedi um sinal para Deus e Deus permitiu”. Cuidado.

Muitas vezes Deus permite, depois de muita insistência, e diz: “Eu vou deixar acontecer para ele aprender”. A pior coisa do mundo é você “torcer o braço de Deus” para que Ele faça a sua vontade. Muitas vezes agimos da mesma maneira no relacionamento com  nossos filhos. Eles não aceitam nosso não, mas depois questionam: “Por que eu não te ouvi?”

Eu me lembro quando me converti, aliás, Deus me converteu, porque a última coisa que eu queria na vida era ser crente. Eu corria de crente como o diabo corre da cruz. Mas não teve jeito, Deus foi lá e me buscou e, quando eu vi, já estava convertida e doida para ir para a igreja dos crentes, onde estou até hoje. Eu tinha muitas barreiras. Minha família era toda católica. Era muito difícil para eu deixar de ser católica, mas chega um momento na vida que você vai ter que fazer uma opção: ou viver uma vida de paz e comunhão com Deus ou viver uma vida para agradar os homens.

Sobre o colunista

Nascida em Goiânia, Lúcia converteu-se ao cristianismo aos 17 anos. Mesmo diante de uma carreira promissora como jogadora de vôlei, ela decidiu se dedicar à missão de levar a Palavra ao mundo, de conquistar almas para a vida em Jesus. Aos 19 anos, casou-se com Robson Rodovalho e juntos fundaram a Igreja Sara Nossa Terra. Hoje sãos bispos e presidentes mundiais do ministério evangélico. Teóloga e doutora em Filosofia, formou-se também em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília, especializando-se em terapia familiar. É fundadora do mais expressivo ministério liderado pela Sara Nossa Terra, o Arena Jovem. O projeto nasceu em 2003, em Brasília, quando a Bispa Lúcia Rodovalho assumiu o desafio de mobilizar a atenção de milhares de jovens e apresentar-lhes a vida em Jesus Cristo - um caminho que levaria à transformação de suas vidas. Das habilidades que lhes são inatas e das que construiu ao longo da vida com sua experiência profissional, Bispa Lúcia considera sua capacidade de ouvir e entender o outro como o aprendizado mais relevante e decisivo para sua missão de evangelização. Quanto ao foco de seu trabalho, estruturado o projeto Arena Jovem em todo o Brasil, tem se dedicado principalmente ao tema família. Para a Bispa Lúcia Rodovalho, o amor, a base de uma família, germina à luz do respeito, do diálogo e do perdão. E a família é a base sobre a qual se constrói um futuro de realizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Image Lightbox Plugin