Mensagens

O PODER DAS METAS

Na vida é preciso ter objetivos. O professor Mario Sergio Cortella, em uma de suas palestras, corrigiu a epígrafe: “Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”. Ele disse que, na verdade, para quem não sabe aonde vai, nenhum caminho serve. Pois tudo vai parecer ruim e sem sentido. Por isso, defina aonde você quer chegar.

Ter metas é importante porque influencia o presente, mesmo que ele só dure apenas três segundos. Mas isso influencia a sua memória. Quando se alcança uma meta, mesmo as dificuldades serão relembradas com o sabor doce da vitória. Mesmo as piores situações serão arquivadas como momentos de construção de algo maior. A meta tem o poder de dar sentido ao sacrifício. Mesmo as piores situações, quando estão ligadas a uma grande meta, tornam-se memórias positivas, pois estão associadas a um objetivo de vida, por isso, o Bispo Rodovalho fala tanto em propósito.

Encontre algo que você goste muito e consiga uma concentração absoluta. São aqueles momentos em que você não consegue perceber o tempo passar, pois está imerso na atividade. Pessoas felizes sentem a necessidade de repetir com frequência a experiência de imersão, um conceito conhecido como “fluxo”. Quanto mais você investe nas suas maiores forças, maior o fluxo que você atinge na sua vida. Os benefícios dessas experiências prazerosas, de certa forma, irrigam satisfação para outras áreas da vida da pessoa, criando condições para que você estabeleça um fluxo positivo para produzir memórias mais interessantes sobre o presente e para reinterpretar recordações do passado.

Um emprego ou uma aula chata podem se tornar suportáveis se você consegue parar, chegar em casa e fazer uma imersão completa fazendo algo que você goste muito. Alguns sortudos conseguem atingir esse nível de concentração e prazer no próprio trabalho, outros em hobbies. Boas memórias dependem do contato com essa fluidez, quando é possível sentir a felicidade acontecendo no presente, e não apenas no passado.

Sobre o colunista

Nascida em Goiânia, Lúcia converteu-se ao cristianismo aos 17 anos. Mesmo diante de uma carreira promissora como jogadora de vôlei, ela decidiu se dedicar à missão de levar a Palavra ao mundo, de conquistar almas para a vida em Jesus. Aos 19 anos, casou-se com Robson Rodovalho e juntos fundaram a Igreja Sara Nossa Terra. Hoje sãos bispos e presidentes mundiais do ministério evangélico. Teóloga e doutora em Filosofia, formou-se também em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília, especializando-se em terapia familiar. É fundadora do mais expressivo ministério liderado pela Sara Nossa Terra, o Arena Jovem. O projeto nasceu em 2003, em Brasília, quando a Bispa Lúcia Rodovalho assumiu o desafio de mobilizar a atenção de milhares de jovens e apresentar-lhes a vida em Jesus Cristo - um caminho que levaria à transformação de suas vidas. Das habilidades que lhes são inatas e das que construiu ao longo da vida com sua experiência profissional, Bispa Lúcia considera sua capacidade de ouvir e entender o outro como o aprendizado mais relevante e decisivo para sua missão de evangelização. Quanto ao foco de seu trabalho, estruturado o projeto Arena Jovem em todo o Brasil, tem se dedicado principalmente ao tema família. Para a Bispa Lúcia Rodovalho, o amor, a base de uma família, germina à luz do respeito, do diálogo e do perdão. E a família é a base sobre a qual se constrói um futuro de realizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Image Lightbox Plugin