Faça sua doação

"Matar em nome de Deus não exime da culpa", diz Morgan Freeman

Área de Conteúdo

"Matar em nome de Deus não exime da culpa", diz Morgan Freeman

"Matar em nome de Deus não exime da culpa", diz Morgan Freeman

Captura de Tela 2016-03-30 às 15.27.26Prestes a estrear a série “The Story of God” (A história de Deus) para o canal de TV a cabo ‘National Geographic’, Morgan Freeman expressou o seu repúdio àqueles que usaram – e ainda usam – o nome de Deus como justificativa para cometer atrocidades e genocídio e destacou que “matar em nome de Deus não exime da culpa”.

Em entrevista à Agência Efe, o ator veterano que tem grandes sucessos de Hollywood na história de sua carreira, explicou que esta nova programação chega em um contexto no qual a religião “está mais presente do que nunca no mundo todo”.

Segundo Freeman, ele pessoalmente “crê em Deus” de alguma forma, mas destacou que o foco da questão deve ser não somente a existência de Deus, mas o relacionamento com Ele.

“Essa pergunta é a verdadeira luta durante toda a vida, principalmente quando se chega a uma certa idade”, afirmou o ator, que chegou a fazer o papel de Deus no cinema, no filme “Todo Poderoso”, com Jim Carrey, em 2003.

Nesta nova série para a ‘National Geographic’, Freeman passa por sete países – Israel, Vaticano, Índia, Mongólia, Egito, Guatemala e Estados Unidos – buscando respostas para grandes questionamentos que a humanidade faz a si mesma.

“Nos últimos meses, viajei para dezenas de cidades e pude me unir ao chamado à oração no Cairo, aprendi a meditar com um líder budista, visitei os templos maias da Guatemala e discuti sobre razão e fé na Academia Papal de Ciência”, relatou.

O ator destacou que o que mais o impressionou nessas viagens, foi que “não importa para onde vá, no canto do mundo em que se perder, sempre encontrará muito presente a ideia de Deus”. A nova série apresentará seis episódios: “Afterlife” (“A Vida Após a Morte”), “End of Days” (“O Fim dos Tempos”), “Creation” (“Criação”), “Who is God?” (“Quem é Deus?”), “Evil” (“Demônio”) e “Miracles” (“Milagres”).

“Agora, após 40 dias de filmagens, minha oração é para que as pessoas gostem de assisti-la”, declarou o ator.

Fonte:guiame

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress