Faça sua doação

Flávia Campello transformou do amor a Libras uma profissão

Área de Conteúdo

Flávia Campello transformou do amor a Libras uma profissão

Flávia Campello transformou do amor a Libras uma profissão

945543_644483682234658_1157150685_nÉ comum as pessoas perguntarem às crianças o que querem ser quando crescer, com Flávia Campello não foi preciso a indagação, pois a moça desde pequena já sabia o que queria: ser intérprete de libras. Flávia conta que o seu primeiro contato com a Língua Brasileira de Sinais (Libras) veio quando a mãe dava aula para deficientes auditivos em uma escola inclusiva.  “Eu tinha uns seis anos e já me interessei em me comunicar com eles”, lembra.

Os anos se passaram, Flávia cresceu e ao participar de uma consolidação para surdos na Sara Nossa Terra (SNT) de Ceilândia, cidade satélite do Distrito Federal, aprendeu alguns sinais. Logo após, já na Embaixada SNT, a jovem teve a oportunidade de mais uma vez poder se relacionar com a língua. Sua líder na época, pastora Inaiara Lopes, era responsável pelo Ministério de Libras e foi ali que Flávia viu a oportunidade de aprender de verdade a língua.

LibrasA jovem passou a se relacionar com a comunidade surda mais ativamente, pois no ministério tinha dois surdos e com eles aprendeu muito. Foi treinada para ser uma intérprete e logo tomou gosto. “Normalmente as pessoas demoram entre  seis meses a dois anos para aprender a Libras, mas eu aprendi em apenas três meses, pois sei que foi um dom que Deus me deu”, destaca.

Flávia hoje é formada em Administração e trabalha como analista financeira em um órgão público, bem diferente da função que exerce como interprete, mas sabe reconhecer o dom que Deus lhe deu e não o deixa por nada. “Deus me deu a oportunidade de trabalhar com Libras e fazer de um dom, uma profissão onde eu ganho muito mais.  Amo o que faço e agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade que mudou minha vida. Muitas vezes achamos que “perdemos” certas coisas, mas não sabemos qual o propósito de Deus para nós e hoje entendo que ele me fez voltar para a Sede para que Ele me usasse para alcançar novas vidas nesse ministério maravilhoso”, comemora.

Passados quase quatro anos, Flávia continua muito feliz no que faz que é levar a Palavra de Deus por meio dos sinais .”A cada dia vejo os milagres de Deus sendo operado na vida das pessoas. É maravilhoso poder ser instrumento de Deus e ser usada por Ele para alcançar novas vidas e ver que mesmo com todas as dificuldades dos surdos, eles podem ter a oportunidade de receber de Deus como qualquer outra pessoa. A função de intérprete não é apenas passar a palavra mas também estar em santidade, oração para que o espírito flua e eles sintam a presença de Deus no ambiente. A Libras é de fundamental importância para inclusão dessas pessoas na igreja”, diz.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress