Faça sua doação

Crystian de Souza conheceu o mundo das trevas, mas só em Jesus encontrou a paz que tanto almejava

Área de Conteúdo

Crystian de Souza conheceu o mundo das trevas, mas só em Jesus encontrou a paz que tanto almejava

Crystian de Souza conheceu o mundo das trevas, mas só em Jesus encontrou a paz que tanto almejava

Captura de Tela 2015-10-26 às 17.44.14Aos 3 anos de idade, o pequeno Crystian de Souza foi oferecido ao mundo dos orixás, por intermédio de sua avó que era do candomblé. Desde aquele “batismo”, o garoto ficou atormentado, sofria muito com pesadelos e via vultos. Foi quando sua mãe o levou para uma igreja evangélica afim de que aquele mal fosse tirado da vida do filho.”Quando cheguei lá o pastor estava falando sobre a história do filho pródigo e aquilo mexeu muito comigo. Ao final do culto, ele perguntou quem gostaria de aceitar a Jesus e eu levantei o braço, mesmo não sabia como seria”, recorda.

Depois desse primeiro contato com a Palavra de Deus, Crystian começou a frequentar os cultos da igreja, onde ficou por cerca de 1 ano, mas decidiu sair. Naquela época ele tinha apenas 10 anos de idade e até os 13 anos continuou sua vida pacata, comum para os meninos de sua idade. Não mexia com drogas e o que gostava mesmo era de tocar em uma banda de rock, mas por desavenças na equipe, decidiu sair e entrou em um outro grupo. “Nós tínhamos que fazer uma espécie de “culto” antes dos shows,  e foi onde eu me entreguei de verdade. Eu falava com convicção que das trevas nós tínhamos vindo e para ela nós voltaríamos e as pessoas nos shows acreditavam muito nisso. Eu mudei todo o meu conceito de que Deus não existia, que mais valia estar lá entregando a minha vida e sendo reconhecido pelas pessoas do que estar me humilhando e fazendo com que Deus crescesse”, conta.

Naquela ocasião, Crystian tinha apenas 14 anos de idade e acreditava que aquela maneira de levar a vida era a certa e que os seus atos não teriam consequências futuras. Aos 16 anos ele já frequentava muitas festas e fazia uso de álcool e drogas. “Ali eu perdi completamente o meu foco, blasfemava contra Deus e dizia que Ele nunca existiu. Eram apenas pessoas que queriam que eu acreditasse naquele ser, porque eu necessitava de ajuda”.

O tempo foi passando, Crystian começou a namorar e mal sabia que ali estaria seu ponto de partida para ter uma segunda chance com Deus. Por meio de um convite do irmão da namorada, o jovem ficou sabendo da igreja Sara Nossa Terra e que lá, tinha um grupo de jovens que ele se encaixaria muito bem. Era o Arena Jovem. Crystian relutou em aceitar o convite, mas acabou acatando. “Eu cheguei lá e vi aquele pessoal todo pulando e vindo me abraçar. Eu achei estranho, porque eu vim de uma doutrina que as pessoas teriam que ser formais”, observa.

Nesse primeiro contato com a igreja, Crystian não se firmou, mas depois de dois meses recebeu novamente um convite e teve uma experiência diferenciada de tudo que havia vivido. “Eu comecei a me entregar de verdade para Jesus e ao fazer o Revisão de Vidas, eu vi que a maldição de tudo que vivi foi quebrada. Ali eu vi que eu não era nada sem a presença de Deus e tomei consciência de que o melhor Jesus fez por mim”, diz.

Experiências sobrenaturais o jovem vivenciou ao longo dos três dias de encontro, que marcaram para sempre a sua vida. “Hoje, tudo que eu falo, tudo que faço é para agradar a Jesus, para recompensar o que Ele fez por mim. Depois do Revisão eu entendi que eu estava num inferno, onde eu via demônios, e passei a ter a convicção que Jesus é a porta de entrada, Deus é a casa e a igreja é o quintal. Nós entramos pelo quintal, mas somente ao batermos na porta e pedirmos a Jesus para entrar é que conhecemos a glória de Deus. Hoje eu tenho a convicção que estou salvo e que se eu morrer, para mim é lucro”,  destaca.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress