Faça sua doação

Como surgiu o Natal? Entenda sobre a data que marca o Cristianismo

Área de Conteúdo

Como surgiu o Natal? Entenda sobre a data que marca o Cristianismo

Como surgiu o Natal? Entenda sobre a data que marca o Cristianismo

natalLuzes coloridas, enfeites por toda a casa, árvores decorada, Papai Noel e trocas de presentes. Para muitas pessoas essa é simbologia do natal, quando na realidade a data se remete ao nascimento de Cristo. O dia 25 de dezembro não é comprovado, com exatidão, que seja o nascimento de Jesus, mas desde o século IV é comemorado, enquanto festividade. Para o professor de história da Universidade de Brasília, Jaime de Almeida, o Natal era desde muito antes dos romanos, o dia do nascimento do Sol em pleno inverno, onde eles associavam essa festa ao culto oficial devido ao imperador, mas grande parte da população o associava a Mitra, uma entidade religiosa de origem persa. “A Igreja fixou esse dia como o dia do nascimento de Cristo, reforçando a identificação do cristianismo com o Império e com o imperador”, destaca

Jaime explica ainda que ao longo de dois milênios e com tantas variações é difícil responder ao certo onde o natal começou a ser comemorado. ” Uma resposta automática seria em Roma, logo que as autoridades decidiram que o próximo dia 25 de dezembro seria o Natal do Cristo. Mas, pensando num dos temas centrais que, embora um tanto esquecido no natal contemporâneo, seria razoável pensar no presépio montado por São Francisco de Assis na floresta de Greccio, na região do Lácio, centro da Itália, em 1223. Ou, pensando nos primeiros tempos quando o cristianismo chegava aos poucos por aqui, podemos imaginar algum missionário franciscano ou jesuíta encenando o Natal entre os índios, distribuindo muitos papéis aos curumins”, explica.

Na Bíblia, a história do nascimento de Jesus começa quando o evangelista Mateus narra que Maria estava prometida em casamento a José, mas antes de unir-se a ele, achou-se grávida pelo Espírito Santo. José por sua vez pensou em anular o casamento secretamente, mas antes que o fizesse apareceu-lhe em sonho um anjo que lhe disse que Maria daria a luz a um filho, que salvaria o povo do pecado. José aceitou o que o anjo lhe disse e recebeu Maria como sua esposa, mas não teve relações com ela até o nascimento de Jesus.
Na passagem Bíblica de Lucas 2: 4-7 é narrado que Jesus nasceu na época de um grande recenseamento, que obrigava as pessoas a saírem do campo e irem às suas cidades natal para se alistar. José foi uma dessas pessoas. Juntamente com Maria, que estava grávida a espera de Jesus, saiu da cidade de Nazaré da Galiléia para a cidade de Belém. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar a luz. Jesus veio ao mundo, Maria o envolveu em panos e fez de uma manjedoura um berço, porque não havia lugar para eles se instalarem.

Mas a essência do Natal, que é a celebração do nascimento de Cristo, vem sendo distorcida ao longo dos anos, como observa o mestre em teologia, Paulo Bosco. “O mundo passa por um processo de esvaziamento do sagrado e com o advento moderno, estamos cada vez menos natalinos. As pessoas não estão reunidas em torno do ministério, mas pelo espírito festivo e essa perda está associada ao racionalismo moderno e ao capitalismo. O impacto econômico, infelizmente está presente no Natal”.

Bosco ressalta que a apesar do verdadeiro significado natalino estar cada vez mais esquecido, é sempre bom reavivar a chama do nascimento. “O nosso desafio enquanto cristão é grande que é de cristianizar o mundo e celebrar o nascimento de Jesus, que é o nosso próprio nascimento. Só somos batizados se a ideia é nascer em Cristo”.

Vanuza Freitas é uma das que ainda acreditam na essência da data. ” Natal é muito mais que uma comemoração, é a  maior alegria do ano porque comemoramos o nascimento d‘ Aquele que deu a sua vida para nos salvar. O Cristo que foi testado e aprovado, por isso costumo estar com pessoas amadas e importantes”, destaca10859562_769125373140768_1593253004_n.

Para Jaime de Almeida, a data nunca mexeu tanto com as pessoas, como nos dias atuais. ” Essa estimulação exacerbada à compra, doação e recepção de presentes na TV e nos shopping centers termina por convencer-nos a nos integrar de alguma forma ao clima natalino, dando e recebendo algum tipo de presente ou pelo menos de carinho, para evitar o sentimento de solidão”, comenta. Para o presidente da Sara Nossa Terra, Bispo Robson Rodovalho, a data é muito importante, mas vai além da solenidade da cristandade. “Natal é tempo de referência, meditação e crescimento. Muito mais do que apenas festas e presentes, muito mais do que uma solenidade da cristandade. O sentido profético  do Natal é que a estrela nasceu para te guiar”, conclui.

 
 
 

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress