Faça sua doação

O que podemos aprender sobre a providência com a história de John Newton ?

Área de Conteúdo

O que podemos aprender sobre a providência com a história de John Newton ?

O que podemos aprender sobre a providência com a história de John Newton ?

Podemos aprender lições preciosas com a história de John Newton , alguém que ocupou um lugar tão baixo na escala moral humana, mas que alcançou a graça de Deus.

Podemos tomar sua história de restauração como referência para esta geração que está experimentando este trauma causado pela pandemia. Fomos pegos desprevenidos por uma onda que, em menos de um ano alterou completamente nossos hábitos e nossa rotina, levando-nos a nos trancafiarmos em nossas casas com medo até das sombras.

John Newton e sua história de reconstrução tão maravilhosa é um alento, pois mostra que não há situação impossível para o nosso Deus. Mesmo alguém que chegou ao “fundo do poço” pode se reerguer e escrever uma nova história.

“Amazing Grace” é, a meu ver, a mais bela canção contemporânea que conhecemos. Ao conhecê-la maravilhei-me com sua letra e melodia, e imaginava o grande homem de caráter e valores que deveria ter sido seu autor. Até que, para minha perplexidade, conheci a história de seu autor, um cristão afastado de sua igreja e que desceu ao mais baixo nível moral da vida humana, mas que foi alcançado pela maravilhosa graça de Deus.

John Newton foi criado na Igreja Anglicana, mas aos 18 anos se desviou dos caminhos do Senhor. Ele se tornou capitão, seguindo o ofício que aprendeu de seu pai. Depois de um curto tempo na Marinha Real, a profissão o levou aos níveis mais baixos da dignidade humana, pois ele iniciou sua carreira como traficante de escravos. Em sua função, ele aceitou o encargo de transportar escravos, mas depois de ver os horrores e as maldades, acabou abandonando a profissão. John participou de algumas páginas de umas das piores histórias escritas pelo ser humano.

Trata-se da história de horror da escravidão e do abuso que destruiu vidas e fez com que jovens fossem sequestrados de sua terra nos chamados navios negreiros em direção ao horror desconhecido. Castro Alves descreve um pouco daquela loucura em “Navio Negreiro” por meio de seu famoso poema:“Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus! Se é loucura… se é verdade. Tanto horror perante os céus…”
(Castro Alves – O Navio Negreiro, Tragédia no Mar (V)).

John Newton participou desses horrores e teve em suas mãos o sangue de alguns desses escravos. O mesmo homem, que fez parte dessa engrenagem corrompida e cheia de sangue inocente em suas mãos, foi o homem resgatado pelo Senhor que teve a graça de compor “Amazing Grace”. Após abandonar seu ofício de capitão, Newton se converteu, foi para o seminário, tornou-se pastor, foi um grande defensor do fim da escravidão na Inglaterra e escreveu mais de 250 hinos e centenas de sermões. Ele se tornou amigo íntimo dos grandes pregadores que nos influenciam até hoje, como John Wesley e Charles Spurgeon.

Mais dessa história você pode conferir no meu livro: O Poder da Providência. Adquira o seu nas lojas SBE Shop e no site. Clique aqui.

 

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress