Faça sua doação

LIBERTE-SE DAS RELAÇÕES TÓXICAS

Área de Conteúdo

LIBERTE-SE DAS RELAÇÕES TÓXICAS

LIBERTE-SE DAS RELAÇÕES TÓXICAS

Há muitas pessoas aprisionadas em relações tóxicas que roubam sua energia e vontade de viver. Muitas vezes, essas pessoas dependem de alguma maneira de seu algoz, seja física, emocional ou financeiramente. O caso é mais grave quando esse distúrbio é desenvolvido dentro do lar. Infelizmente, muitas pessoas cresceram em um ambiente tóxico, dentro daquele que deveria ser o seu lugar seguro. Muitos pais não conseguem cumprir o seu papel e criam seus filhos à base de críticas e humilhações. Subjugando-os, até mesmo, com ofensas e xingamentos, por não serem tão bonitas ou inteligentes, ou ainda por não estarem dentro do padrão que eles esperavam.

É lamentável, mas ainda hoje, há relatos de pais que se excedem e chegam até mesmo a espancar seus filhos por eles fazerem xixi na cama, por exemplo, algo que se manifestava exatamente por causa do medo da violência materna.

Os pais tóxicos agridem física e emocionalmente, causando sequelas que acompanharão seus filhos até a fase adulta. É certo que, nenhum pai ou mãe está livre de falhar, perder a paciência ou a compostura. Mas agir com perversidade ultrapassa os limites aceitáveis de qualquer relacionamento. Sendo a humilhação vinda daqueles a quem se amam muito mais dolorosa.

Pais tóxicos criam filhos com autoestima abalada, que julga não ser bom o suficiente para receber afeto de qualquer pessoa. Essa postura tóxica deixa graves sequelas, como agressividade, dificuldade de aprendizado, rebeldia, timidez e um enorme sentimento de culpa. São pessoas que, sempre que algo sai do controle, seja no trabalho, seja na vida pessoal, tendem a se culpar. Há até mesmo casos em que o resultado dessa violência emocional é a síndrome do pânico.

Mesmo quando os pais alternam atitudes carinhosas e agressivas, o reflexo no desenvolvimento dos filhos é negativo, pois a criança nunca sabe o que esperar e nem como agir. Isso faz com que a pessoa cresça em um estado de alerta constante, causando uma ansiedade crônica.

Uma criança que tenha sido insistentemente maltratada por sua mãe e chamada de gorda, pode vir a desenvolver anorexia ou depressão já na adolescência.

Cônjuges ou parceiros também podem desenvolver esse tipo de relacionamento tóxico. Em alguns casos, são pessoas que foram maltratadas na infância e tomaram esse tipo de agressão como algo normal. Eles assimilam o que sofreram como sendo a forma de se relacionar e passam de vítimas a agressores.

Qualquer pessoa pode se deixar envolver em uma relação desse tipo, mas o problema afeta mais a comumente quem tem baixa autoestima, pouco autoconhecimento, passado de abuso ou ainda uma visão distorcida do que é afeto. Manter-se em um relacionamento destrutivo aumenta o risco de depressão, ansiedade, síndrome do pânico e estresse, que pode gerar somatizações.

As pessoas vão se acostumando ao clima hostil e encontram formas de se adaptar ao inadaptável, sem se dar conta do quando essa relação pode ser ruim para a saúde. As relações tóxicas geram um vício que aprisiona as pessoas.

Relacionamento saudável é pautado no diálogo e no respeito mútuo, inclusive às diferenças de cada um. Pessoas traumatizadas pela relação tóxica precisam passar por um processo de cura interior, renovando sua mente e criando novos parâmetros de relacionamento. Somente o amor de Cristo pode transformar completamente relações tóxicas em relacionamentos saudáveis pautados no amor incondicional e no respeito.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress