Faça sua doação

COMO NÃO CAIR NA ARMADILHA DA OFENSA

Área de Conteúdo

COMO NÃO CAIR NA ARMADILHA DA OFENSA

COMO NÃO CAIR NA ARMADILHA DA OFENSA

Infelizmente, é impossível evitar que vocês sejam ofendidos. Se você quiser que ninguém mexa com você, terá que morar sozinho, virar ermitão, sem contato nem com gente, nem com animais, e mesmo assim, eu tenho a certeza que logo você vai arrumar encrenca com alguma coisa.  Muitos que ficam sozinhos acabam criando problemas com Deus ou com eles mesmos. Não adianta fugir, eu não tenho uma fórmula que possa evitar que você passe por essa situação. O que eu quero ensinar a você é que, ao passar por uma situação difícil, como quando somos ofendidos ou injustiçados, não fiquemos paralisados. É um caminho de maturidade espiritual e emocional.

O livro de Hebreus, no capítulo 12, nos exorta a ter paz e a manter a pureza do nosso coração. Como é possível isso num mundo tão corrompido? Um mundo onde as pessoas tiram proveito umas das outras; em que os próprios pais, que deveriam ser guardiões dos seus filhos, muitas vezes tiram proveito deles, seja através do abuso sexual, verbal ou físico; onde os maridos, que deveriam proteger suas esposas, não fazem isso; e nem as mulheres, que deveriam proteger seus filhos.

Jesus previu, no capítulo 24 do evangelho de Mateus, que no final dos tempos, o amor de muitos esfriaria. Mas isso não vai acontecer conosco porque o Espírito Santo de Deus habita em nós. O Espírito Santo de Deus vai aquecer nosso coração, todavia, devemos estar atentos. É possível que você, mesmo nascido de novo, tendo experiência com Deus, tenha o seu coração fechado para os outros. A única forma de não deixar que a amargura se torne uma raiz na sua vida é perdoando a ofensa, liberando perdão para o ofensor. Se não houver perdão, aquela semente que foi jogada no seu coração pode se enraizar e vir a se tornar uma árvore.

O que eu posso fazer, então para não cair na armadilha? Paulo nos dá a chave de como não cair na armadilha da ofensa, que gera amargura, contamina sua vida, seu casamento, e todos os seus relacionamentos. O quanto depender de nós devemos ter paz com todos. O quanto depender de mim, e não do outro. Enquanto o poder estiver na minha mão, a decisão dever ser ter paz. Muitas vezes a paz não depende só de nós.

Aceitar as pessoas não significa aprovar as suas ações. Às vezes nós confundimos as coisas. A gente sabe que amor é aceitação, mas nós confundimos aceitação com aprovação. Achamos que para amar alguém eu tenho que aceitar e aprovar os seus atos. E criamos uma grande confusão. Criamos uma situação em que é impossível ter paz. Eu amo aquela pessoa, mas eu não amo o que ela fez comigo. Algumas pessoas dizem: quando eu perdoo, eu sinto que eu me igualo ao outro. Não. Não entenda assim. Quando você perdoa o outro, você está dizendo  para ele: “Eu aceito você porque eu te amo, eu te perdoo, mas eu não aprovo o que você fez”.

A linha que diferencia a aceitação da aprovação é muito fina, e só é compreendida pelas pessoas maduras, as pessoas que andam com Deus. É por isso que o cristianismo é para quem nasce de novo. Cristianismo é para quem decide ter uma vida nova, para aqueles que estavam cansados da sua vida sem Deus. O que Jesus traz para nós é um desafio. É fácil ser um religioso, mas é difícil ser um cristão verdadeiro.

Compartilhe:
X
Angelo Rocha Desenvolvimento WordPress