Notícias

Notícias Mundo + Notícias Sara Nossa Terra Notícias Testemunhos

Culto de Conexão (18.05) “A dor da rejeição pode e deve ser superada”, disse bispo Raphael Assunção

Muitas pessoas podem achar estranho dizer que no interior do ser humano existem inimigos, não é mesmo? Mas é justamente para ensinar como se libertar desses inimigos interiores que toda quinta-feira acontece o Culto de Conexão na Embaixada Sara Nossa Terra, em Brasília. E na noite desta quinta-feira (18), o bispo Raphael Assunção compartilhou com os presentes sobre a “Rejeição”, que não deixa de ser um inimigo interior.

O preletor destacou que existem inúmeros estudos acerca do tema e que foi descoberto que a dor da rejeição é tão forte quanto a dor física. “A grande questão é: Quando existe uma dor física nós temos medicamentos, uma gama de produtos para nos ajudar, mas quando sentimos  a dor da rejeição, o que podemos usar para trazer cura? Não existe medicamento, mas temos o altar”.

As passagens Bíblicas do livro de Filipenses 3:13 e Lucas 9 foram utilizados por Raphael para dar embasamento à Palavra, que observou ainda que muitos relacionamento não fluem, as finanças estão parasalisadas e isso pode ser efeito da rejeição. “Tem pessoas que passam pela rejeição e têm a vida paralisada, estagnadas. O que você tem vivido, o que tem passado? Porque tudo passa pela nossa permissão. O que acontece da cabeça ao pé passa por nossa permissão. Então, é preciso arrancar o que não te faz bem. Você precisa se encontrar e não pode ser refém da rejeição. Você tem que levantar a cabeça e ver que é um ungido de Deus. Chega dessa rejeição”, enfatizou.

Ao finalizar, Raphael fez uma breve comparação do ser humano a um saco sem fundo, onde por mais que você encha, nunca será o suficiente, mas quando a pessoa quer se livrar da rejeição existe uma solução que está na aliança com o altar do Senhor. “Toda vez que você se prostra no altar de Deus, Ele prepara situacões para te fazer mais forte. Então, tenha uma aliança forte e verdadeira com Deus”.

Confira fotos:

Crédito das fotos: Ronaldo Caldas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *