Notícias

Notícias Mundo + Notícias Sara Nossa Terra Notícias Testemunhos

Conheça o trabalho do casal de pastores que coordena comunidades da SNT em Portugal e Espanha

Eunice e Jacinto, pastores no Algarve, Portugal

Jacinto e Eunice Rosa são bispos da Sara Nossa Terra no Algarve, sul de Portugal. O casal de pastores coordena as comunidades das cidades de Lagos, Faro e Portimão, no Algarve, e de Ponferrada, no norte da Espanha. A mais antiga é a de Lagos, com 25 anos, seguida de Portimão (6 anos) e de Faro (3 anos).

A Sara Nossa Terra tem sede geral em Brasília e existe em Portugal há 16 anos, conta Jacinto. A sede portuguesa é em Amadora, cidade de Lisboa, e já existem 17 comunidades na Europa, com maior número em Portugal. “A nossa missão é ampliar nossa presença na Europa.”

O angolano Jacinto Rosa é pastor há 31 anos. Morou cinco anos no Brasil e frequentou a Igreja Evangélica Congressional de Higienópolis, no Rio de Janeiro, quando conheceu a brasileira Eunice. “Conheci a minha esposa na Páscoa de 1981 e três meses depois estávamos noivos.”

Ao voltar para Portugal, em dezembro de 1981, Jacinto deixou uma procuração com seu irmão para se casar com Eunice. Em julho de 1982, ela mudou para Portugal quando então se casaram na igreja. “Na realidade, casamos onze meses depois que começamos a namorar”, lembra o pastor.

Em Portugal, Jacinto foi morar em Viseu, região central do país, onde frequentou a igreja Assembleia de Deus. Com a chegada de Eunice, o casal ingressou, em 1983, no Instituto Bíblico de Portugal (seminário das Assembleias de Deus), num lugar chamado Monte Esperança, em Fanhões (Freguesia do Concelho de Loures). “Lá ficamos três anos e começamos a ajudar as igrejas locais próximas como parte do serviço cristão.”

Ao concluir os três anos de estudo, em 1986, o casal recebeu um convite do Centro Cristão Vida Abundante, em Moscavide (Lisboa), onde trabalhou durante nove anos. Um acidente trágico com um casal de pastores levou Jacinto e Eunice a substituí-los no Centro Cristão Fonte de Vida, em 1995, onde participariam, posteriormente, da fusão com a Sara Nossa Terra.

A Sara Nossa Terra é uma comunidade formada essencialmente de brasileiros, mas hoje já abriga muitos portugueses, explica Jacinto. “Penso que essa fusão tenha contribuído para a maior presença de portugueses.”

Crescimento “suave”

A Sara Nossa Terra tem apresentado um crescimento “suave” em Portugal, revela Jacinto, “porque aqui os nossos recursos, humanos e financeiros, são diminutos. Isso aqui não é como no Brasil.”

Este desempenho está em linha com o que acontece com as igrejas evangélicas que, de modo geral, apresentam pequeno crescimento, de acordo com as estatísticas oficiais, explica o pastor. “O que a igreja evangélica consegue conquistar em Portugal de direitos é por causa da força da implantação e da influência da igreja católica.”

Esta declaração de Jacinto, que surpreende à primeira vista, vem acompanhada de uma advertência. “A igreja católica é nossa aliada, não é nossa inimiga. Se nós não ocupamos um espaço, qualquer outra filosofia, ideologia ou religião não-cristã vai ocupar.”

E uma das formas de ocupar este espaço tem sido a crescente presença de brasileiros, a maioria jovens, acredita o pastor. “Penso que o fato de terem muitos brasileiros vindo para Portugal acabou por fortalecer as igrejas evangélicas. O brasileiro, com sua cultura, enriqueceu muito a nossa cultura.”

O resultado é que tem havido muitos casamentos entre brasileiros e também com portugueses, acrescenta o pastor. “Veja o meu caso: tenho duas filhas, nascidas em Portugal, casadas com brasileiros.”

Um delas é Marta, casada com o brasileiro Henrique, filho do bispo da sede portuguesa da Sara Nossa Terra, em Lisboa. Marta e Henrique são pastores da comunidade de Portimão, no Algarve.

Trabalho social

A Sara Nossa Terra desenvolve um trabalho social em Lagos por intermédio do Instituto Fonte de Vida, uma instituição particular de solidariedade que foi criada em 1994 e que atua também na Amadora (Lisboa), na Costa da Caparica e na cidade do Porto.

Este trabalho é voltado para a prevenção, a recuperação e a reinserção de tóxico-dependentes, relata Jacinto. Em Lagos, já foram atendidos 1500 jovens do Algarve, dos quais cerca de 250 foram enviados para recuperação. Destes, 30% concluíram o programa e se recuperaram.

“Também mantemos uma casa com o objetivo de reinserção de ex-reclusos e ex-tóxico-dependentes”, acrescenta Jacinto. “E ainda mantemos quartos gratuitos para pessoas com dificuldades de alojamento.”

Por fim, o Instituto angaria e distribui roupas e brinquedos, eledromésticos, gêneros alimentícios e comida feita, complementa o pastor. E, para isso, conta com a colaboração da população. “Estamos plenamente integrados na rede social da cidade (Câmara Municipal, Santa Casa de Misericórdia, Instituto de Reinserção Social e Segurança Social, entre outros).”

Crianças

Jacinto destaca ainda o trabalho com as crianças. “Gostamos de investir nas crianças como forma de prevenção e de estímulo a estilos de vida saudável.” Ele cita como exemplos a limpeza de terrenos para o plantio, trabalhos artísticos, teatro, música, fantoche e desportos.

Recentemente, Jacinto e Eunice convidaram a educadora Lina Nascimento para apresentar seu projeto de educação financeira às crianças que frequentam a Sara Nossa Terra. No dia 17 de junho foi realizado um workshop para 14 crianças, entre 6 e 12 anos, com o objetivo de desmistificar a crença negativa no dinheiro e delinear um projeto financeiro para a concretização de um sonho.

As crianças definiram como sonho um passeio de barco pela Costa de Oiro (costa de Lagos). Em seguida, construíram os três mealheiros ou cofrinhos (poupar, doar e investor). Lina vai acompanhar o projeto até a sua concretização.

Fonte: jornaldaslajes.com.br

Reportagem: José Venâncio de Resende

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *