Notícias

Notícias Mundo + Notícias Sara Nossa Terra Notícias Testemunhos

A mãe de 103 anos que voltou a cuidar do filho de 75 diagnosticado com câncer

Fonte: internet

Margaret Gilbert tem 103 anos. Ela tinha um filho único chamado Richard, de 75 anos. Os dois sempre moraram juntos e ele costumava cuidar dela. Mas os papéis se inverteram quando ele foi diagnosticado com câncer em estágio terminal. A idosa passou a ter que tratar do filho, apesar das naturais limitações que a idade trouxe.

“É um trabalho terrivelmente difícil. No outro dia, ele caiu da cama”, conta ela. “Foi um esforço terrível para levantá-lo. Eu liguei para a minha vizinha. Uma vizinha muito gentil. Ela veio aqui a 1 hora da manhã e me ajudou.”

Na Inglaterra, existem mais de 92 mil “cuidadores” com mais de 85 anos. São pessoas que, por uma circunstância ou outra, acabaram tendo que cuidar de parentes ou amigos, mesmo tendo idade avançada.

Margaret tinha medo do que poderia acontecer com o filho se ela adoecesse e não pudesse mais cuidar dele. “Eu prefiro colocá-lo para descansar enquanto ainda estou aqui, do que deixá-lo para trás, sozinho”, confidencia ela.

“Isso não soa natural para uma mãe dizer, soa? Mas é como me sinto.”

Richard acabou morrendo um tempo depois, em um lar de idosos. “Eu sinto muito a falta dele”, diz Margaret. “Eu ter vivido tanto tempo… É um sentimento estranho, na verdade”, afirma.

Margaret foi uma das centenárias entrevistadas pelo programa Panorama, da BBC, que destaca a existência de 14,5 mil pessoas com mais de 100 anos no Reino Unido. A quantidade vem aumentando ao longo dos anos, graças a avanços na medicina e na qualidade de vida das pessoas.

No Brasil, a expectativa de vida atualmente é de 76 anos, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mas há mais de 20 mil centenários.

 

Fonte:bbc.portuguese.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *