Mensagens

PERSEGUIÇÃO À IGREJA

Tenho refletido muito a respeito da luta espiritual a que estamos inseridos como igreja e cristãos no Brasil. Por nosso posicionamento claro e compromisso com os valores do reino de Deus e da família, angariamos milhares de adversários políticos e sociais. O pior são os inimigos “invisíveis” e até dissimulados. Por meio de qualquer brecha, por menor que seja, eles agem e tentam nos destruir.

O Brasil é hoje um dos maiores celeiros de avivamento de nossa geração e este avivamento passa pela igreja e por seus líderes. Ou seja, para cercear este avivamento é necessário atingir a igreja e descredibilizar os líderes. Essa é a operação que tem estado em curso, lenta e gradualmente, no Brasil.

Tenho pensado se nosso posicionamento político estaria facilitando nossa exposição aos ataques, a mim mesmo, minha família e nossa igreja, ou não? Mas a conclusão é que seremos atacados todos, tanto os parlamentares, quanto os demais cristãos. O alvo é atingir a igreja e seu crescimento. O alvo é atingir a credibilidade dos líderes.

Me perguntado, o que fazer em meio a essa situação? Tornar-nos “meninos bem comportados” e aceitar passivamente nosso país ser levado pelas forças das trevas? Aceitar que nossas próximas gerações sejam presas de um mundo sem luz e que uma nova ordem da família e dos valores sejam estabelecidos? Talvez devamos nos mudar para um outro país e tentar nos esconder destas horas que nos tem sobrevindo?

Sei de nossa vulnerabilidade, ainda mais com a função de líder espiritual. Mas qual a nossa saída? Lutamos ou desistirmos? Por que tudo isso tem nos sobrevindo? Logo a nós que pregamos o evangelho de Jesus Cristo e uma nova oportunidade aos homens? Estamos em meio a um grande plano internacional, de reorientação de nossa sociedade, e nós somos os “fundamentalistas.” Estamos inseridos em um movimento de globalização de tudo, inclusive de nossos valores e princípios. Lembre-se que a Europa hoje se definiu como um continente “pós-Cristão”, ou seja, a igreja, naquele continente, é pequeníssima (no máximo 2 ou 3%), e considerada “persona non-grata”. Infelizmente, este movimento é internacional e está à nossa porta.

O fato de termos uma vida limpa e um passado sem mácula não conta. O fato de estarmos auxiliando milhares de pessoas a transformarem suas vidas, e o fato de termos obras sociais sérias e responsáveis, aliás, sem convênios e verbas públicas, também não lhes interessa. O que interessa é cumprir o objetivo de lançar manchas, dúvidas e descrédito, estando a serviço de uma mão invisível, (mas perceptível por nós).

Sobre o colunista

Robson Rodovalho é físico graduado pela Universidade Federal de Goiás, da qual também foi professor. Formou-se ainda em Teologia e Filosofia, adquirindo conhecimentos que associa às suas constantes pesquisas no campo da Física Quântica. É fundador, Bispo e presidente do Ministério Sara Nossa Terra, que criou em 1992, ao lado de sua esposa, Bispa Lúcia Rodovalho. Conferencista internacional, ministra palestras sobre temas relacionados à relação entre ciência e fé, gestão, desenvolvimento pessoal e profissional, entre outros. Compositor e cantor, já lançou dois DVDs e sete CDs. Com o título “Sara Nossa Terra, Por Favor”, gravado pela Som Livre, garantiu o Disco de Ouro, em 2013. Rodovalho também é escritor. Seu ultimo livro, Rompiendo las Maldiciones Hereditarias, junta-se a uma bibliografia própria com mais de setenta obras. Entre os títulos de caréter científico, destaca-se Ciência e Fé – O Reencontro pela Física Quântica. Publicado pela editora LeYa, o título ficou por três semanas no topo da lista dos mais vendidos no país da revista Veja, logo após seu lançamento, em julho de 2014. Presidente da Rede Gênesis de TV e da Rede Sara Brasil de rádio, Rodovalho apresenta o programa Vida com Esperança, que vai ao ar diariamente para 22 capitais em sinal captado pelas TVs abertas. A transmissão também é reproduzida pelas rádios. Atuou como deputado federal por um mandato (2007-2010), deixando relevante legado para a sociedade. Entre as suas contribuições, destacam-se as bases da legislação que concedeu isenção fiscal ao microimportador (“sacoleiros”), além da lei que reconhece eventos gospel como culturais, concedendo-lhes os benefícios da Lei Rouanet que garantem financiamento mediante renúncia fiscal. Entre as homenagens que recebeu estão a condecoração como Destaque Nacional da Frente Parlamentar Evangélica (2004), Honra ao Mérito – Comissão Nacional de Defesa dos Direitos Humanos (2009) e Medalha do Mérito Legislativo (2013).

Deixe uma resposta