Mensagens

A PACIÊNCIA COMO CHAVE PARA A CURA EMOCIONAL

A primeira chave para a cura emocional, a confiança, está ligada à segunda chave, a paciência. Nós só podemos usufruir da paciência se já tivermos recebido, em nossos corações, a confiança.

Felicidade não significa ausência de problemas. A diferença entre uma pessoa feliz e uma infeliz é que a infeliz, embora tenha problemas como a outra, enfrenta e vivencia seus problemas de forma negativa e com sentimentos não satisfatórios. A Bíblia nos ensina a ter sentimentos positivos de uma forma construtiva. Deus quer completar nossas vidas e nós devemos começar confiando n’Ele.

Paciência é essa atitude que Paulo está descrevendo no seguinte versículo:

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque o seu tempo ceifaremos, se não desfalecemos”. (Gálatas 6:9)

Quando nos tornamos cristãos tomamos uma decisão. Embora, muitas vezes nos sintamos cansados de fazer o bem e não receber retorno, nos consolamos ao saber que existe a lei da semeadura, pela qual colhemos tudo aquilo que semeamos. Essa não é uma lei natural e física, mas espiritual, e está presente em tudo na vida.

Em geral, as pessoas que abençoamos não são as que vão nos abençoar. As bênçãos, atitudes boa e positivas que tivemos em relação aos outros, voltam para nós, na maioria das vezes, por pessoas diferentes das que nós abençoamos.

Paulo nos fala que não devemos cansar de fazer o bem, deixar de semear a semente que precisamos semear, deixar de fazer aquilo que está de acordo com nossa consciência e com a palavra de Deus. Deus é um Deus pró-ativo e Ele quer nos ensinar a viver de forma pró-ativa. Não devemos desistir mesmo que o retorno não seja imediato.

A paciência é um segredo da vida cristã. Mesmo se semearmos e não alcançarmos resultados imediatos, não devemos desistir, pois, se desistirmos, nunca colheremos. Muitas pessoas esperam mudanças nos outros sem fazer nada diferente. Nós só podemos ter esperança se tivermos paciência.

Sobre o colunista

Nascida em Goiânia, Lúcia converteu-se ao cristianismo aos 17 anos. Mesmo diante de uma carreira promissora como jogadora de vôlei, ela decidiu se dedicar à missão de levar a Palavra ao mundo, de conquistar almas para a vida em Jesus. Aos 19 anos, casou-se com Robson Rodovalho e juntos fundaram a Igreja Sara Nossa Terra. Hoje sãos bispos e presidentes mundiais do ministério evangélico. Teóloga e doutora em Filosofia, formou-se também em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília, especializando-se em terapia familiar. É fundadora do mais expressivo ministério liderado pela Sara Nossa Terra, o Arena Jovem. O projeto nasceu em 2003, em Brasília, quando a Bispa Lúcia Rodovalho assumiu o desafio de mobilizar a atenção de milhares de jovens e apresentar-lhes a vida em Jesus Cristo - um caminho que levaria à transformação de suas vidas. Das habilidades que lhes são inatas e das que construiu ao longo da vida com sua experiência profissional, Bispa Lúcia considera sua capacidade de ouvir e entender o outro como o aprendizado mais relevante e decisivo para sua missão de evangelização. Quanto ao foco de seu trabalho, estruturado o projeto Arena Jovem em todo o Brasil, tem se dedicado principalmente ao tema família. Para a Bispa Lúcia Rodovalho, o amor, a base de uma família, germina à luz do respeito, do diálogo e do perdão. E a família é a base sobre a qual se constrói um futuro de realizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Image Lightbox Plugin